Alimentação em câncer

Tenho câncer. Como devo me alimentar?

04 Apr, 2017

Sabemos que nos últimos anos a alimentação passou por diversas transformações sociais, contribuindo para mudanças significativas no perfil alimentar e impactos na saúde. Alteramos nossa maneira de nos alimentar, tanto no que diz respeito à qualidade quanto a quantidade, levando a uma diminuição do consumo de frutas, legumes, verduras e fibras; e uma preferência maior por alimentos industrializados como: embutidos (salsicha, linguiça, bacon, presunto), produtos enlatados, frituras, carnes salgadas, açúcar refinado e tantos outros que ganham destaque por sua relação com o aumento do risco de câncer¹.

O câncer pode afetar muito as necessidades nutricionais do organismo, aumentando as chances de desnutrição devido à falta de apetite, aumento do gasto de energia e aumento da queima de gordura e massa muscular, características relacionadas tanto a doença como consequências dos tratamentos, tudo isso afetando a qualidade de vida.  De modo geral, sabemos que uma alimentação inadequada, cheia de alimentos industrializados, com muitas gorduras hidrogenadas, saturadas, corantes, conservantes artificiais e realçador de sabor são capazes de induzir um crescimento aumentado de células tumorais no nosso organismo1,2.

Diante disso, muitas dúvidas relacionadas à alimentação podem surgir diante de um diagnóstico de câncer. Então para te ajudar, vamos descrever algumas dicas básicas.

O paciente com câncer pode apresentar alguns sintomas desconfortáveis causados pela própria doença ou mesmo pelo tratamento. Para estes casos algumas medidas preventivas podem ser úteis, como:

  • Para náuseas deve – se evitar alimentos prontos com cheiro forte, muito temperado, alimentos ricos em açucares; prefira consumir líquidos em pequena quantidade e que o organismo tolere melhor (sucos, chás ou água de coco);
  • Para constipação dê preferência ao consumo de verduras e folhas verdes escuras (brócolis, agrião, repolho, almeirão); frutas com casca e bagaço (laranja, mamão, ameixa).
  • Para diarreia evitar consumir alimentos ricos em fibras como verduras, frutas com casca, fritura, café, bebidas alcoólicas, leite, doces. Opte pelo consumo de arroz, fubá, tapioca, goiaba, banana prata;
  • Para alteração de paladar e boca seca é importante consumir frutas cítricas para estimular a salivação; ingerir pequenos volumes de líquidos ao longo do dia inclusive junto à refeição para umedecer melhor os alimentos; consumir mais sopas, molhos, cremes. Evitar alimentos secos e condimentados que exijam muito a mastigação ³.

A busca por qualidade de vida é primordial, pensando nisso devemos nos preocupar mais com aqualidade e variedade dos alimentos que consumimos diariamente. Assim o paciente com câncer deve manter uma dieta saudável e equilibrada, para isso deve-se:

  • Consumir de 4 a 5 porções de frutas e hortaliças por dia;
  • Consumir de 5 a 9 porções de cereais, raízes e tubérculos variados, entre eles: arroz, macarrão, mandioca, batata, beterraba, milho;
  • Evitar excesso de carne bovina, cerca de 80 gramas por dia é suficiente, podendo também substituir por peixe e frango, procurando sempre fazer grelhado, assado ou cozido;
  • Limitar o consumo de frituras, alimentos gordurosos e industrializados, dando preferência ao azeite de oliva, castanhas e nozes;
  • Prefira temperos mais naturais evitando o consumo excessivo de sal e de temperos prontos;
  • Evitar alimentos em conserva, salmoura, curados, defumados e tostados como, por exemplo, churrasco e picles;
  • Evitar ao máximo o consumo de bebida alcoólica;
  • Evitar o consumo de alimentos processados, isto é, àqueles alimentos que contém muito corantes artificiais, açúcares, gorduras e alta concentração de sal.
  • Diminuir o consumo de açúcar refinado;
  • Prefira os alimentos naturais e os integrais que conservam todos os nutrientes, e possuem fibras garantindo um efeito protetor no nosso organismo;
  • Ficar sempre atento às informações nutricionais dos produtos, quanto menos ingredientes e nomes estranhos no rótulo, mais saudável ele será;
  • E não podemos deixar de praticar atividade física diariamente, supervisionada por um educador físico e autorizada pelo seu médico ².

Referências :
1.  PEREIRA, L. P. et al. Qualidade de Vida e Consumo Alimentar de Pacientes Oncológicos. Revista Brasileira de Cancerologia, 61(3):243 – 251, 2015.

2.  GARÓFOLO, A. et al. Dieta e câncer: um enfoque epidemiológico. Revista de Nutrição, Campinas, 17(4):491-505, out./dez., 2004.

3.  CORRÊA, P. et al. Administração da terapia nutricional em cuidados paliativos. Revista Brasileira de Cancerologia, 2007: 53(3): 317- 323


Compartilhe: